segunda-feira, 9 de dezembro de 2019

FREE made in China







BREVEs Da China, vem um novo interessante músico, o saxofonista e flautista Lao Dan, que lança seu primeiro registro por um selo dos Estados Unidos...






Por Fabricio Vieira


Se a cena free jazz/impro do Japão tem uma longa história, com muitos intensos personagens e discos já clássicos surgindo nas últimas cinco décadas, artistas vindos da China nesta seara ainda levantam certa curiosidade. O nome de Lao Dan é o que surge chamando grande atenção agora, com alguns interessantes álbuns editados em anos recentes. Vindo da cidade de Dandong, que faz fronteira com a Coreia do Norte, Lao Dan iniciou seus estudos no sax ainda na infância, mas se especializou, estudando no Conservatório Musical de Shenyang, onde entrou em 2007, na flauta de bambu. Já músico profissional, passou a investigar a free improvisation, se dividindo entre o sax alto e a flauta. Em 2018, esteve pela primeira vez nos Estados Unidos, onde uniu forças ao veterano saxofonista Paul Flaherty. É deste encontro que vem a gravação que agora é editada pelo selo independente Family Vineyard, de Indianapolis.

O álbum traz um registro ao vivo feito em quarteto – com Flaherty (alto e tenor), Randall Colbourne (bateria) e Damon Smith (baixo) – feito na Willimantic Records, em Connecticut, em abril de 2018. São quatro peças, improvisação livre que vai de grande intensidade enérgica, como no duelo de saxes de “Noise & Light”, a momentos de sonoridades bastantes particulares, com Lao Dan mostrando toda sua inventividade na flauta (“Long Shadows”) e na peculiar suona (“Winter Dawn”). Aos poucos, o músico chinês tem circulado e feito parcerias, ampliando as possibilidades de sua música – em julho, por exemplo, andou se apresentando em duo com o percussionista japonês Sabu Toyozumi. Está aí um nome para ficarmos atentos.






Os mais lidos...