sexta-feira, 13 de julho de 2018

Novidades do Leo Records






LANÇAMENTOS  Títulos recentes do Leo Records.
Ouça, divulgue, compre os discos...






Por Fabricio Vieira

O mítico selo Leo Records caminha para completar 40 anos de atividades, com centenas de títulos editados nessa longa trajetória. Mantendo-se bastante ativo e relevante, uma de suas marcas é editar músicos menos conhecidos, que exploram rumos diversos do que chamamos de free music, oferecendo possibilidades sempre renovadas.
Aqui destacamos interessantes e variados projetos novos do Leo Records, que chegaram aos ouvintes nos últimos meses...





Dialogues
Lucas Leidinger / Daniel Daemen

O relativamente jovem duo formado pelo pianista alemão Lucas Leidinger e o saxofonista belga Daniel Daemen oferece um conjunto de belos temas, que mostra o quanto a dupla, fruto de uma parceria surgida em 2010, está em sintonia. O sax de Daemen trabalha em um modo bastante lírico, se encaixando com perfeição à sonoridade de Leidinger. O pianista, de 29 anos, tem ampliado sua discografia nos últimos cinco anos, tendo já editado inclusive pela Clean Feed, mostrando uma variedade de enfoques, do jazz à impro livre, sem ignorar sua formação (tem um Master em música) e interesse pela composição, tendo já escrito para quarteto de cordas e teatro. Os 11 breves temas de Dialogues foram captados em março de 2017 em uma igreja, em Colônia.






Democratic Vistas
Mark Harvey and the Aardvark Jazz Orchestra

Mark Harvey é um veterano trompetista norte-americano que iniciou sua carreira nos anos 1970. Com discografia discreta, destaca-se na sua obra exatamente o trabalho com a Aardvark Jazz Orchestra, que comanda e com quem edita agora seu nono registro. Em atividade há mais de quatro décadas (sendo uma das mais longevas orquestras ativas) e formada por mais de uma dúzia de músicos (com muitos sopros), a Aardvark Jazz Orchestra apresenta neste Democratic Vistas composições que exploram criticamente a atual situação sócio-política dos Estados Unidos. Sonoramente, Harvey destaca influências que vão de Charles Mingus, Charlie Haden e Sun Ra ao universo do dadaísmo. 






Naked Dance! Something Nearby
Rush/ Bishop/ Edwards/ Lazar/ Flood

O pianista Stephen Rush volta aqui com seu projeto Naked Dance. Para este terceiro título do grupo, que conta com o baterista Jeremy Edwards e o clarinetista Andrew Bishop, Rush trouxe também Day Lazar (trompete) e o baixista Tim Flood – convite que marca uma quebra na ideia original de Rush de “tocar sem baixo”. Formado por 11 temas, que se dividem como partes de um ciclo, o álbum apresenta de sonoridade das bandas de rua de New Orleans a certo cerebralismo de partituras gráficas (pertencentes à composição “Time Cycles”, que se espraiam por sete das faixas) e muita improvisação. Rush, além do piano, toca rhodes, micromoog e trombone.






Live in Lisbon
Z-Country Paradise

O quinteto europeu Z-Country Paradise vem neste novo título com uma apresentação realizada em Lisboa em agosto de 2016. Tendo à frente o experiente saxofonista alemão Frank Gratkowski, o grupo é formado pelos também germânicos Oliver Potratz (baixo elétrico) e Christian Marien (bateria) ao lado da sérvia Jelena Kulijic (voz) e do finlandês Kalle Kalima (guitarra). O grupo mostra sete temas, em que exibe sua singular música que traz elementos jazzísticos associados ao pós-punk, blues, improvisação em meio a muita liberdade estética. As letras cantadas por Jelena vêm de dois poetas: o mito Arthur Rimbaud e o menos conhecido Charles Simic. O Z-Country Paradise deve ter seu máximo mesmo no palco, com o visual em ação. Mas vale ouvir e conhecer a animada música do quinteto.






Untold Story
Anne-Liis Poll/ Alistair MacDonald


Este Untold Story mostra o duo formado pela vocalista estoniana Anne-Liis Poll e o artista eletrônico Alistair MacDonald em ação em diferentes performances entre 2013 e 2017. A parceria, criada há cerca de cinco anos, apresenta diferentes explorações improvisativas que ganham coloridos amplos a partir de uma gama variada de instrumentações: Poll explora em meio à sua voz kalimba, piano, jaw harp, wind chimes, dentre outros, que ampliam as possibilidades oferecidas pelos live electronics de MacDonald. São 11 peças relativamente breves.






Sensoria
Watts/ Williams/ Owens/ Armstrong


A dupla Heath Watts (sax soprano) e Blue Armstrong (baixo), que editaram o bem recebido “Bright Yellow with Bass” no ano passado, se une aqui a M.J. Williams (trombone, piano, melodica) e Nancy Owens (violino) para explorar nove temas originais. Sensoria é o terceiro título que Watts lança pelo Leo Records – o primeiro em quarteto – e seria natural encará-lo como o líder informal da sessão. Mas os músicos dizem que não é bem assim, que a sessão de improvisação que originou o álbum (a data do registro não aparece no CD) foi um encontro de quatro vozes livres e em comunicação. O resultado são temas que intercalam momentos mais reflexivos com outros de maior força improvisativa. Watts, músico de Montana (EUA), é um especialista no sax soprano; sua discografia, ainda tímida, mostra um interessante artista que merece ser acompanhado.




Os mais lidos...