FREE THE JAZZ!!!

IMPROVISED MUSIC, JAZZ ANARCHY, NEW THING, INSTANT COMPOSITION, OUT JAZZ, ALEATORY MUSIC, MODERN FREE, FIRE MUSIC, NOISE, AVANT-GARDE JAZZ, INTUITIVE MUSIC, ACTION JAZZ, FREE IMPROVISATION, JAZZCORE, CREATIVE IMPROVISED MUSIC. FREE THE JAZZ!!!

*SOBRE (about us)...

sexta-feira, 25 de agosto de 2017

Satoko Fujii (3x)




LANÇAMENTOS  A pianista japonesa Satoko Fujii, que conta com uma discografia com cerca de 85 títulos, mantém o forte ritmo de lançamentos neste 2017...


 
A japonesa Satoko Fujii é uma das figuras centrais do piano free jazzístico contemporâneo. Nascida em Tóquio em 1958, Fujii mudou para os EUA em meados da década de 80, onde viveu por vários anos, tendo estudado com Paul Bley e passando também por cursos no Berklee College of Music e no New England Conservatory. Suas primeiras gravações surgiriam apenas nos anos 90, quando começou a desenvolver diferentes projetos nos quais exibe uma obra de alcance múltiplo, que se estende hoje por algumas dezenas de títulos. Nesse caldeirão criativo, merece atenção maior três de seus projetos: a big band Satoko Fujii Orchestra, o grupo Gato Libre e o trabalho de piano solo – do qual destacamos há pouco seu último brilhante registro, “Invisible Hand”. Fujii fundou com seu marido, o trompetista Natsuki Tamura, o selo Libra Records em 1997, pelo qual editam grande parte do que produzem. Aqui, trazemos alguns de seus mais recentes registros...





Kisaragi  *****
Satoko Fujii / Natsuki Tamura
Libra Records
Este introspectivo duo apresenta inebriantes investigações sonoras, levando os instrumentos-base a seus extremos. Satoko Fujii (piano) e Natsuki Tamura (trompete) criam oito peças de improvisação livre impactantes e desconcertantes. Registrado em dois momentos, em fevereiro de 2015 e maio de 2016, Kisaragi é uma viagem por sons improváveis, como explica Tamura no encarte: “do começo ao fim, não usamos nenhum som normal dos instrumentos”. A faixa-título, que abre o álbum, com seus silêncios entrecortados por ataques pontuais do sopro e dos teclados, é realmente incrível e exibe toda potencialidade artística do duo – se fosse possível manter esta elevada estatura por todo o disco, estaria facilmente no topo dos melhores do ano. Mas há momentos mais descontraídos, em que especialmente Tamura parece querer quebrar a profundidade meditativa que marca o melhor do trabalho, como nos sons quase de brinquedo de “Iwashigumo”. A variedade de recursos explorados nos leva a surpresas como “Nowake”, que exala certo desespero sombrio, como que retirado de um filme de terror, e “Muhyo”, a mais longa das peças, que fecha o registro com seus 15 minutos, que mostram em seu núcleo intrigantes cascatas ruidosas criadas por Fujii, trespassadas por agoniado sopro de Tamura, deixando nossos ouvidos inebriados com os rumos inesperados por onde somos levados.  




Peace  **** 
Satoko Fujii Orchestra Tokyo
Libra Records
Com um conjunto de 15 instrumentistas, temos aqui a versão “Tokyo” da big band de Satoko Fujii – há também uma agrupação “Nova York”, outra “Berlim”... –, sendo os não japoneses presentes apenas o baterista Peter Orins e o trompetista Christian Pruvost, em uma escalação formada por saxes, trompetes, trombones, baixo e percussão. Composto por quatro temas (três de Fujii) registrados em outubro de 2014 em Tóquio, Peace inicia com a extensa (32 minutos) “2014”, que abre com o trompete de Natsuki Tamura e vai ganhando corpo com vagar, com passagens pontilhísticas que ganham força de conjunto apenas lá pelos 10 minutos transcorridos, com a orquestra criando uma camada melódica sobre a qual os solistas vão desfilando. O impacto da band vem mesmo no terceiro tema, “Peace”, que surge logo após a relaxada “Jasper”. Na faixa-título, a energia é redobrada e atravessa os dez minutos de free impro que a compõe, sem pausas para respiro – acidamente inspiradora. A swingada e breve “Beguine Nummer Eins” fecha o conjunto.





Neko   **** 
Gato Libre
Libra Records
O Gato Libre é um quarteto que Satoko Fujii mantém ao lado do trompetista Natsuki Tamura há mais de uma década. Neste novo título, eles aparecem em versão trio, com a adição da trombonista Yasuko Kaneko (normalmente a dupla trabalhava acompanhada por baixo e guitarra neste projeto). A sonoridade criada em Neko é realmente ímpar: Fujii troca seu piano por um acordeom (seu segundo instrumento) e isso é vital para o resultado final do trabalho – essa versão com trombone já havia sido explorada por eles no anterior “DuDu” (2014), que ainda trazia o guitarrista Kazuhiko Tsumura. Gravado em agosto de 2016, Neko traz seis temas climáticos (destaque neste sentido a “Tama”, que abre o conjunto), que levam os ouvintes por entre passagens ora contemplativas, ora quase melancólicas. “Momo” é uma das melhores, tanto no diálogo inicial de trompete e trombone, como nos solos de Tamura e de Kaneko. Fujii pode não parecer tão ousada ao acordeom como é ao piano, mas é interessante conhecer essa sua outra face expressiva. Editado em CD e vinil.




 

------------
*quem assina:
Fabricio Vieira é jornalista e fez mestrado em Literatura e Crítica Literária. Escreveu sobre jazz para a Folha de S.Paulo por alguns anos; foi ainda correspondente do jornal em Buenos Aires. Atualmente escreve sobre livros e jazz para o Valor Econômico. É autor de liner notes para os álbuns “Sustain and Run”, de Roscoe Mitchell (Selo Sesc), e “The Hour of the Star”, de Ivo Perelman (Leo Records)