FREE THE JAZZ!!!

IMPROVISED MUSIC, JAZZ ANARCHY, NEW THING, INSTANT COMPOSITION, OUT JAZZ, ALEATORY MUSIC, MODERN FREE, FIRE MUSIC, NOISE, AVANT-GARDE JAZZ, INTUITIVE MUSIC, ACTION JAZZ, FREE IMPROVISATION, JAZZCORE, CREATIVE IMPROVISED MUSIC. FREE THE JAZZ!!!

*SOBRE (about us)...

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

'Humanization 4tet': em alta voltagem

Já destaquei o Humanization 4tet por aqui; faltava trazer o som dos caras... O quarteto tocou na edição deste ano do Jazz em Agosto, em Lisboa, e presenteou quem por lá passou com um concerto realmente intenso. O Humanization 4tet é um projeto recente, liderado por Luís Lopes e que conta com o também português Rodrigo Amado, ao lado dos americanos Aaron e Stefan González – filhos do grande trompetista Dennis González. O grupo já editou dois álbuns: a estreia homônima em 2008, pela Clean Feed, e “Electricity” (2010), pela Ayler Records.

O Humanization 4tet é um dos conjuntos mais interessantes da música free contemporânea. Suas amplas referências estão a serviço de um som de matriz estética free jazzística, mas muito aberto e livre, que parte de temas precisos, fornecedores de um centro identificável e condutor em torno do qual os músicos improvisam sem preguiça. Os rumos explorados não são estáticos, tendo desembocado em uma pegada mais viajante e melódica no primeiro álbum, para depois desdobrar-se em uma experiência mais robusta e agressiva em “Electricity” – perfil que dá o tom da apresentação que aqui destacamos.
A abertura do concerto captado em Lisboa fica a cargo da impactante Dehumanization Blues, que já é, ao menos a meus ouvidos, a faixa-símbolo do quarteto. Há também uma ácida leitura de Bush Baby, resgatada do repetório de Arthur Blythe, lá dos idos 1970s...

Em entrevista recente a Pedro Tavares e Rafael Vieira, da “Le Cool”, dias antes de tocarem no evento lisboeta, os músicos falaram sobre o trabalho do quarteto, referências, projetos, turnês etc (a conversa é boa e vale à pena ser lida por inteiro). Sobre o começo do Humanization 4tet, o guitarrista Luis Lopes contou:

O projecto começou comigo e o Rodrigo, que pertencemos ao mesmo circuito de música improvisada de Lisboa. Nós já tínhamos experimentado tocar, tínhamos uns temas e estávamos a tentar montar um grupo para os tocar. Experimentámos com outro grupo, mas aquilo não funcionou. Estávamos à procura duma secção rítimica. Eles (os irmãos Aaron e Stefan) estavam a tocar duas noites com o pai (Dennis). (...) O Rodrigo disse, vamos ver o Dennis González. Eu não conhecia os putos. Como levamos os instrumentos (...), o Dennis convidou-nos para tocar na segunda parte, para fazer uma jam com eles. Começaram logo a improvisar connosco. Foi um alto power, uma alta liberdade, noção de grupo, vontade de partilhar emoções. Ficámos muito contentes e aí pensei, vamos fazer a banda com os González.

Lopes revelou ainda na entrevista que eles tinham a intenção de gravar o concerto que realizaram no "Jazz em Agosto", mas que, surpreendentemente, tiveram a ideia vetada pela organização... Então, alguma atenta alma fez o favor de captar o show, que apareceu primeiro no blog Rest in Bits, e agora apresentamos aqui:


"Live in Lisbon, 2011"

1. Dehumanization Blues (8:12)
2. Jungle Gymnastics (5:32)
3. Two Girls (6:21)
4. (6:19)
5. (10:18)
6. Bush Baby (11:23)
7. (6:17)
*Luís Lopes: guitar
*Rodrigo Amado: tenor
*Aaron González: bass
*Stefan González: drums

Recorded live at Teatro do Bairro (Lisboa), 9 Ago 2011.