FREE THE JAZZ!!!

IMPROVISED MUSIC, JAZZ ANARCHY, NEW THING, INSTANT COMPOSITION, OUT JAZZ, ALEATORY MUSIC, MODERN FREE, FIRE MUSIC, NOISE, AVANT-GARDE JAZZ, INTUITIVE MUSIC, ACTION JAZZ, FREE IMPROVISATION, JAZZCORE, CREATIVE IMPROVISED MUSIC. FREE THE JAZZ!!!

*SOBRE (about us)...

quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

Um músico, um instrumento (Solo VII)


O baterista britânico Roger Turner costuma ter seu nome mais associado aos seus dois principais parceiros, nosso conhecido Phil Minton e o guitarrista John Russel. Mas Turner é um nome forte por si mesmo, com trabalhos como líder e uma lista de colaborações ampla e sólida.
O início da carreira do baterista nascido em 1946 na pequena cidade de Whitstable (pouco mais de 30 mil habitantes) foi marcado por colaborações em grupos de jazz, rock e blues. É a partir dos anos 70, quando o músico já está instalado em Londres, que deslancha seu envolvimento com a borbulhante free improvisation europeia.

Turner é um percussionista que dialoga mais com figuras como Eddie Prévost e Han Bennink do que com bateristas norte-americanos. Sem influências abertamente afros e distante de uma pegada muscular, o britânico tem desenvolvido uma estética mais detalhista, de timbres. Em 1980 e 1983, recebeu bolsa do Arts Council para pesquisar percussão e música eletrônica. No período 84/85 foi a vez de dar workshops no Alan Silva’s 'Institut Art Cultur Perception', em Paris. Essa também foi uma época em que desenvolveu trabalhos solistas, com apresentações em eventos como 'Bruxelles Festival of Percussion' e 'Bracknell Jazz Festival'. A trajetória de Turner ainda é marcada por encontros com nomes como Lol Coxhill, Evan Parker, Derek Bailey, Cecil Taylor, Toshinori Kondo, Mats Gustafsson, Elton Dean e Otomo Yoshihide.
**********************************

The Blur Between, captado em 1981, é o primeiro registro solista de Turner. Nesse trabalho, podemos ver o músico tratando de forma minimalista o aparato percussivo. A peça de percussão solo aqui é desenvolvida de forma completamente diversa das experiências de um Andrew Cyrille ou de Milford Graves. Lidando somente com pedal drum e cymbal, como está registrado na contracapa, Turner apresenta sua pesquisa percussiva movida por toques mínimos, que exala grande sutileza.

A1 In (12:25)
A2 E (7:45)
A3 All Over (5:37)
B1 Further Inn (9:07)
B2 Going Fast (3:30)
B3 Almost Finito (6:10)
B4 Finito (Or Loose as a Prune) (7:00)


Recorded at Pathway Studios, London, on 3 March 1981, and Front Room Studio, London W9 on 8 March 1981