FREE THE JAZZ!!!

IMPROVISED MUSIC, JAZZ ANARCHY, NEW THING, INSTANT COMPOSITION, OUT JAZZ, ALEATORY MUSIC, MODERN FREE, FIRE MUSIC, NOISE, AVANT-GARDE JAZZ, INTUITIVE MUSIC, ACTION JAZZ, FREE IMPROVISATION, JAZZCORE, CREATIVE IMPROVISED MUSIC. FREE THE JAZZ!!!

*SOBRE (about us)...

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

Um pouco de K. Vandermark - VI

Fora de suas variadas investidas próprias, Ken Vandermark também costuma visitar projetos alheios. Nesse ponto, destacam-se suas incursões nos campos de Mats Gustafsson e, especialmente, Peter Brötzmann –lembramos ainda que esses três saxofonistas conduzem o incrível trio de sopros “Sonore”.

O “Chicago Tentet” é um dos pontos de encontro de Ken com o gênio alemão. No fim da década de 90, Brötzmann decidiu reunir alguns dos mais ativos nomes da free improvisation em torno de um grupo extenso: pelo “Chicago Tentet” já passaram figuras do porte de William Parker, Toshinori Kondo, Joe McPhee, Kent Kessler e Michael Zerang. Vandermark é um colaborador constante, estando presente em grande parte da discografia do grupo.


Em setembro/outubro deste ano, Ken e Brötz subiram ao palco juntos em outro contexto. Em meio à turnê européia do “Full Blast”, Ken se juntou ao trio em Londres, Amsterdã, Bern e mais algumas cidades. Já pudemos ter a ventura de sentir (mais do que nunca o verbo soa adequado: a música do trio reverbera nos músculos e nos ossos) o impacto do “Full Blast” ao vivo, em 2008. Imaginem agora somar o sopro de Ken ao singular grupo... Esse encontro não conta ainda com disco oficial. Mas sempre há um “bootleg” amigo perdido por aí para –já que não tivemos a honra de vê-los ao vivo – provarmos um pouco da iguaria.

Nas noites de 29 e 30 de setembro passado, o ‘Full Blast’ estava agendado para subir ao palco do Cafe Oto, em Londres. Vandermark estava pela cidade, após uma turnê com o “Van 5”. E o encontro ocorreu naturalmente. Como alguém teve a idéia de gravar a apresentação, podemos sentar e ouvi-la agora. Entre ataques ensurdecedores dos sopros, temperados por baixo e bateria extremos, há passagens de relativa calmaria, com os saxofonistas alongando as notas de forma dolorosa por sobre o dedilhado interminável de Pliakas: música improvisada representativa do que de melhor tem sido produzido em tempos recentes.

1. Track 1 (41:43)
2. Track 2 (34:03)

*Ken Vandermark: reeds
*Peter Brotzmann: reeds
*Marino Pliakas: electric bass
*Michael Wertmueller: drums

Live at Café Oto, London, 30, set / 2010.