FREE THE JAZZ!!!

IMPROVISED MUSIC, JAZZ ANARCHY, NEW THING, INSTANT COMPOSITION, OUT JAZZ, ALEATORY MUSIC, MODERN FREE, FIRE MUSIC, NOISE, AVANT-GARDE JAZZ, INTUITIVE MUSIC, ACTION JAZZ, FREE IMPROVISATION, JAZZCORE, CREATIVE IMPROVISED MUSIC. FREE THE JAZZ!!!

*SOBRE (about us)...

segunda-feira, 19 de julho de 2010

EKE Trio: um grande show... (e mais à vista)

Yedo Gibson protagonizou no sábado, junto a seus companheiros de EKE Trio, uma noite de elevada música no CCSP. Gibson, que ainda não completou 30 anos (nasceu em 1981, em SP), mostrou que já ostenta grande maturidade e versatilidade sonoro-criacional: vê-lo em ação, alternando-se entre vários sopros (tenor, soprano, barítono, testou até o trombone), foi altamente empolgante.

A sintonia entre Gibson e os holandeses Oscar Jan Hoogland (clavicorde elétrico) e Gerri Jaeger (bateria) faz com que a música do EKE soe una e única. Jaeger testa outros elementos percussivos além da bateria-base. Em alguns momentos, por exemplo, tocou com uma corrente nas mãos, junto à baqueta, repercutindo na bateria e oferecendo ruidosidade inédita. Já Hoogland, com seu clavicorde elétrico, cria uma nova espacialidade para o grupo. Seu inusual instrumento, máquina de timbres e roncos desconcertantes, traz grande peculiaridade à sonoridade do trio. Se o sistema de alto-falantes fosse configurado tendo como ponto de partida a potencialidade espacial do clavicorde elétrico (penso aqui em quanto Stockhausen sempre lutou para que ouvintes e técnicos compreendessem as necessidades particulares de cada peça em relação à distribuição dos sons no espaço), o resultado seria ainda mais grandioso.
O EKE demonstrou ser um grupo que merece figurar nos grandes eventos dedicados ao free mundo afora (não sei o quanto eles tocam juntos, cada músico tem vários projetos paralelos, e nem o quanto tem excursionado: espero que o grupo mantenha-se aceso).
Radicado na Europa desde 2005, Yedo não toca por aqui com muita frequência (como ocorre com  outros dois grandes da free music brasileira que moram fora, Márcio Mattos e Ivo Perelman). Foi curioso e sintomático ouvi-lo dizer que não tocava no CCSP há 10 anos. Assim, quem não viu/ouviu não deve perder a oportunidade: o EKE ainda se apresenta mais três vezes em SP:


*22/7 (quinta). 21h30. Livraria da Esquina. Rua do Bosque, 1254
*23/7 (sexta). 22h. Serralheria. Rua Guiacurus, 857
*25/7 (domingo). 19hs. Tapas Club - Rua Augusta, 1246

Para conhecer o EKE e escutar um pouco do que oferecem:
http://www.myspace.com/ekemusic
 
-------------
(texto: Fabricio Vieira)