FREE THE JAZZ!!!

IMPROVISED MUSIC, JAZZ ANARCHY, NEW THING, INSTANT COMPOSITION, OUT JAZZ, ALEATORY MUSIC, MODERN FREE, FIRE MUSIC, NOISE, AVANT-GARDE JAZZ, INTUITIVE MUSIC, ACTION JAZZ, FREE IMPROVISATION, JAZZCORE, CREATIVE IMPROVISED MUSIC. FREE THE JAZZ!!!

*SOBRE (about us)...

segunda-feira, 10 de maio de 2010

Liberdade sonora from Portugal

Em conversa com os colegas portugueses do 'Amplificasom', surgiu o nome do guitarrista Manuel Mota. Ele foi convocado para abrir o show do Sonic Youth no Porto, no mês passado, e a reação do público não foi das mais receptivas. Por aqui, os produtores nem ousariam fazer isso: Mota subiu ao palco sozinho e fez uma apresentação solo, guitarra apenas, free improvisation que agradaria a Thurston Moore, mas não a seus seguidores. Fiquei intrigado por não conhecer o trabalho dele (no youtube dá para encontrá-lo em ação). E de tampouco ser bom conhecedor da música portuguesa mais inovadora. Pensando nisso, acabei por me deparar com uma interessante coletânea, lançada em 1999, que apresenta alguns nomes da música mais experimental feita em Portugal.



Way Out — New Music From Portugal. Vol. 2 é o nome do álbum, com variado leque de músicos com propostas bastante distintas (há também o 'Vol.1', com nomes como Carlos Zíngaro e Nuno Rebelo). Destaco o trabalho de Rodrigo Amado, saxofonista ligado ao jazz livre, que lançou, em 2009, "The Abstract Truth", ao lado de Kent Kessler e Paal Nilssen-Love. Do acima citado Manuel Mota, aparece apenas uma pequena faixa, infelizmente. Outro guitarrista, Emidio Buchinho, merece maior reconhecimento. Nascido em 63, Buchinho é um dos experientes da cena improv portuguesa, sendo, além de explorador das cordas, professor e engenheiro de som. Já tocou e trabalhou ao lado de Peter Kowald, Richard Teitelbaum e Otomo Yoshihide. Diferenças marcam os dois guitarristas: Mota é adepto de um som cru e limpo, pouco fluido, enquanto Emídio mostra algo com mais efeitos, sustentado por camadas ruidosas. Muita atenção também para o pessoal do Osso Exótico, com seu impressionante trabalho para percussão e violinos. O Osso Exótico surgiu nos 80s e tem mostrado nesse tempo um amplo espectro de pesquisa sonora, de músicas mais estruturadas a trabalhos mais livres, revezando o eletrônico e o acústico, o instrumental e o vocal.



Aqui não se trata de uma coletânea de free jazz ou de free improvisation: o mote é a música alternativa livre de Portugal, em uma gama variada de caminhos e resultados. Para quem desconhece os rumos explorados pela música de nossos irmãos além-mar, esse álbum pode ser uma surpresa.

Tracks :
1. David Maranha - Quatro Violinos
2. Manuel Mota - Blue Yodel # 2, Just Get Rid Of Me
3. Discmen - We Are Touch Sensitive
4. Electro Flan - Watkins Lopycat / Leslie Cabinet
5. Rodrigo Amado - Drum 'n' Sax
6. Ernesto Rodrigues & Jorge Valente - In Memoriam Wolf Vostell
7. Pedro Leal - O Sonho do Ferreiro
8. Kubik - Marinetti's Voice
9. Osso Exótico - Para Percussão e Violinos
10. Rodrigo Pinheiro - VI
11. Rodrigo Amado & Miguel Leiria Pereira - RM2
12. Américo Rodrigues - Razia
13. Emídio Buchinho - Treblinka
14. Zzzzzzzzzzzzzzzzzp! - Verão Azul