FREE THE JAZZ!!!

IMPROVISED MUSIC, JAZZ ANARCHY, NEW THING, INSTANT COMPOSITION, OUT JAZZ, ALEATORY MUSIC, MODERN FREE, FIRE MUSIC, NOISE, AVANT-GARDE JAZZ, INTUITIVE MUSIC, ACTION JAZZ, FREE IMPROVISATION, JAZZCORE, CREATIVE IMPROVISED MUSIC. FREE THE JAZZ!!!

*SOBRE (about us)...

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

A parceria Susie Ibarra/Assif Tsahar

O primeiro duo sax/bateria que escutei foi o clássico Interstellar Space e não foi difícil ficar impressionado com o formato. Coltrane e Rashied Ali criaram uma preciosidade. Com o tempo, o acesso a outros duos sax/bateria confirmou que o formato pode oferecer sessões absurdamente intensas e complexas: Ali/Lowe, Evan Parker/Prévost, Flaherty/Corsano, Muhamed Ali/Frank Wright, Brotzmann/Bennink, Nilssen-Love/Vandermark, Perelman/Rose, Abe/Toyozumi, Max Roach/Shepp, Ali/Belogenis, Roach/Braxton, Brotzmann/Uuskyla, Graves/Zorn, Gustafsson/Nilssen-Love. A essa seleta lista, acrescente-se o (ex-)casal Susie Ibarra e Assif Tsahar.

Susie Ibarra apareceu na década de 90 como revelação na percussão. A passagem pelo David S. Ware Quartet aumentou o reconhecimento pelo seu trabalho no meio jazz e a deixou pronta para seguir seu próprio rumo como líder e compositora. Nascida em 1970 na Califórnia, filha de filipinos, Susie é uma das raras mulheres a se firmar como baterista _se o piano é o instrumento que mais produziu mulheres de destaque no jazz, a bateria representa seu inverso. Estudou com Milford Graves, com quem aprendeu a expandir seu toque percussivo para além da bateria-base. Susie já combinou suas baquetas com uma infinidade de músicos: Matthew Shipp, William Parker, John Zorn, Pauline Oliveros, Derek Bailey, Wadada Leo Smith, Thurston Moore, Mark Dresser etc. Para quem gosta de prêmios, Susie já levou a condecoração “best drummer” de Village Voice, Down Beat e The Wire, além de ‘New Talent of the Year/97’ da Jazziz Magazine.
Foi casada com o saxofonista israelense Assif Tsahar, com quem fundou o selo Hopscotch e produziu interessantes álbuns. O primeiro fruto da parceria do casal para o selo foi o duo Home Cookin’, gestado em 1998.


O álbum representa o melhor esquema do it yourself: poucas horas de estúdio, produção própria, um selo independente para concretizar o lançamento. Passado algum tempo, esgotado e arquivado.
Gravado em apenas três horas, Home Cookin’ traz uma interessante textura: a cada faixa mais longa, amparada por duo de sax/bateria, a dupla executa um curto interlúdio, intitulado sempre de “Dream Song”, no qual se revezam em diversos e inusitados instrumentos. Logo no primeiro tema, "Arrival/Salutations", é possível admirar a amplitude percussiva de Susie, que desfila seu rico toque enquanto Assif desenvolve seu sopro em crescendo. Nem Ibarra nem Tsahar são músicos de pegada agressiva e muscular, trabalham com maior lirismo. Mas não faltam momentos de maior vigor, como mostram “Liquid Time”, “Happy Disillusion” e “Muchacho Loco”.

1 Arrival/Salutations 7:22
2 Dream Song #1 0:39
3 Ambrosia 7:28
4 Dream Song #2 0:41
5 Liquid Time 6:29
6 Dream Song #3 1:23
7 At Dawn 7:52
8 Dream Song #4 1:28
9 Happy Disillusion 7:22
10 Dream Song #5 0:58
11 What Is Not 7:45
12 Dream Song #6 0:37
13 Prayer for the Unseen 4:37
14 Dream Song #7 0:20
15 The Wordless Song: Found Treasures 4:58
16 Dream Song #8 0:14
17 Muchacho Loco 7:44

*Susie Ibarra: drum, piano, thumb, gamelan, balafon, vibraphone, djembe, kulin tang
*Assif Tsahar: tenor, flute, violin, bass clarinet, bells, talking drum